Quando tudo começou...

Total de visualizações de página

Seguidores

Pela Vida

Pela Vida
não passe por ela marque sua passagem

.A ALEGRIA..VEM PELA MANHÃ...

.A ALEGRIA..VEM PELA MANHÃ...
..PENSE ANTES DE DELETAR BOAS OPORTUNIDADES
Loading...

http://garden-internet.blogspot.com.br/

https://sites.google.com/site/elianamarianocom/ https://sites.google.com/site/elianamarianocom/ http://garden-internet.blogspot.com.br/

Facebook

Love me with all your heart

Video edited by Andreea Petcu(oceanflower1)http://www.youtube.com/Newoceanflower2008

Posted by Andreea Petcu(oceanflower1) video creations on Quinta, 26 de maio de 2011

Sociedades!!! Repensar é Preciso .

A inteligência nos foi dada por Deus
Que bom voce encontrou espaço para demonstrar seus talentos, pois muitas pessoas são inteligentes e a sociedade, com seus bloqueios de desigualdade, impede que eles desenvolvam sua própria inteligência...

Imagens acima de palavras..

Loading...

Minha lista de blogs

Ocorreu um erro neste gadget

Que bom ter Voces Como Amigos

  • https://www.facebook.com/pages/Conscienmundoelymarianne/140498579318326?ref=hl

OBRIGADA POR SER MEU AMIGO

Então...Chegando o Natal ! ! ??

Então...Chegando o Natal ! ! ??
Penso: Natal Todos os dias do Ano
Ocorreu um erro neste gadget

Somos resultados do que pensamos !!!??

..IMENSIDÃO...

..IMENSIDÃO...
"VASTO MUNDO...RESPIRAÇÃO"

Humanidade

Humanidade
Humanos Humanístas
Loading...

MISSAO COR DA PAZ

A cor de um material é determinada pelas médias de frequência dos pacotes de onda que as suas moléculas constituintes refletem. Um objeto terá determinada cor se não absorver justamente os raios correspondentes à frequência daquela cor.

Assim, um objeto é vermelho se absorve preferencialmente as frequências fora do vermelho.

A cor é relacionada com os diferentes comprimento de onda do espectro eletromagnético. São percebidas pelas pessoas, em faixa específica (zona do visível), e por alguns animais através dos órgãos de visão, como uma sensação que nos permite diferenciar os objetos do espaço com maior precisão.

Considerando as cores como luz, a cor branca resulta da sobreposição de todas as cores primárias(amarelo, azul e vermelho), enquanto o preto é a ausência de luz. Uma luz branca pode ser decomposta em todas as cores (o espectro) por meio de um prisma. Na natureza, esta decomposição origina um arco-íris. Observação: Cores primárias são cores indecomponíveis, sendo o vermelho, o amarelo e o azul. Desde as experiências de Le Blond, em 1730, essas cores vêm sendo consideradas primárias.

As Sociedades Nos transformam ou nós que a transformamos ?

Google+ Badge

Nos clasificamos como poetas e pouco aprendemos..."A amar"...

"Amar não é apoderar-se do outro para completar-se, mas se dar ao outro para o completar."

"Amar eficazmente a alguém é recusar-se a aceitar a sua caricatura. Rasgar todas as máscaras é a condição para que apareça a verdadeira face humana, no esplendor de sua verdade."

"A maior felicidade é a certeza de sermos amados apesar de ser como somos." - Vitor hugo

"Há vários motivos para não se amar uma pessoa e um só para amá-la." - Carlos Drummond de Andrade

"Para amar você bastou um olhar... Agora para esquecer você só mesmo se eu morrer."

"Todas as cartas de amor são ridículas. Não seriam cartas de amor se não fossem ridículas. Também escrevi em meu tempo cartas de amor. Como as outras, ridículas..." - Fernando Pessoa

"O verdadeiro amor é como os fantasmas. Todos falam nele, mas ainda ninguém o viu." "A ausência diminui as paixões medíocres e aumenta as grandes, assim como o vento apaga as velas, mas atiça as fogueiras." "O amor e o desejo são as asas do espírito das grandes façanhas." -- Johann Wolfgang von Goethe "O amor é a força mais subtil do mundo." -- Mahatma Gandhi

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Vou compartilhar... Parabéns!!!




A carta que não enviei: contra o assédio moral *
Caro D. P.,

Na última segunda-feira, dia 15, ocorreu um lamentável episódio na Sede de nossa empresa. Temos certeza que tal fato não é compatível com sua biografia, construída durante anos de militância política. Uma funcionária, com mais de 25 anos de dedicação a esta Casa e vários prêmios recebidos, em função de trabalhos apresentados em Congressos, foi exonerada de forma humilhante, aos gritos e com palavras de baixo calão pela gerente F.

Os motivos para o desentendimento ou quem teria razão são insignificantes diante do assédio moral que a empregada sofreu. Um gestor não pode, em hipótese alguma, gritar com seus subalternos. Há de se manter serenidade para que, efetivamente, tenhamos a cultura da paz tão sonhada por nós, mesmo que, em algum momento, haja discordância.

Permitir aqueles que estão em cargos de gestor destratem seus pares ou funcionários que atuam em funções subalternas é um erro administrativo que pode criar um forte precedente para que os mal entendidos, as discórdias, os santos que não se cruzam, como disse a agressora, sejam resolvidos com truculência verbal e por fim, a violência física.

Temos muitas convergências no mundo das ideias, companheiro D., uma delas poderia ser extraída da música Madeira de lei que cupim não rói quando um dos versos se transforma em dogma: “a injustiça dói”. Quando olhamos, mesmo de longe, as injustiças, sentimos uma dor que desatina sem doer, como diria o poeta português. Não por que alguém perdeu uma gratificação: não é só dinheiro, há um comprometimento com a projeção de nossa Instituição com todas as letras maiúsculas, e a funcionária agredida representa parte deste universo que, usando o lugar comum, veste a camisa da empresa. Não é por que a funcionária faz parte da diretoria da Associação: escreveríamos esse mesmo texto ao senhor se qualquer funcionário sofresse tamanho vexame. Acreditamos que queiras ouvir todos os lados, por isso tomamos a iniciativa ao escrever-lhe. Nós temos por dogma não aceitarmos injustiças e, neste caso, houve: o agredido perde uma gratificação; o agressor não perde nada. Há algo errado, parece que nada ocorreu.

Além de não aceitarmos as injustiças, temos também em comum a lealdade e a gratidão. Lealdade e gratidão: aos amigos, a um conselho de um pai, as pessoas que nos ajudam, aqueles que nos abrem os olhos, enfim a todos que aprendemos a querer bem. Sabemos o quanto o senhor é grato à gerente que, nos tempos em que a discussão política inexistia nesta casa, F o apresentava ao corpo funcional, como um político sério. Nascia uma célula de pessoas que criam em suas palavras. Negar isto, companheiro D., seria uma ingratidão, entretanto permitir que tal arbitrariedade seja cometida é jogar no lixo o princípio da Justiça dando preferência à lealdade insana. Despreza-se o universal, o todo e prestigia-se um indivíduo.

Na mesma segunda-feira, em que houve o desentendimento entre as duas funcionárias, eu narrei os fatos elencados a L. A Chefe de Gabinete ficou espantada, incrédula. Não nos espantamos mais, perdemos a inocência. A postura da gerente de relacionamento tem sido grotesca. A mim , desprezou o diálogo, preferindo à inimizade. Negou-se a conversar: é o mesmo que negar o ofício dela. Parece também que proibiu que eu circulasse na Gerência de Relacionamento. Isso revelaria, também, uma visão Patrimonialista e reacionária, de quem acha que a área em que trabalha faz parte do quintal da casa. Essas coisas não se misturam, lutamos muito para que isso fosse extirpado de nossa sociedade.

Gostaríamos de falar essas palavras “olho no olho” como diziam nossos pais, mas preferimos que elas ficassem escritas para que haja reflexão acerca do fato: exonerar aos gritos não é uma postura de alguém que representa o senhor, não apenas como gestora, mas como alguém que, ao gozar de sua gratidão, usa de sua amizade para demonstrar poder, e faz a Casa crer que há sua aquiescência, seu respaldo. Não podemos achar esse comportamento normal. Não se pode permitir repetições deste tipo.

Esperamos que haja um posicionamento mais enérgico por parte do senhor, a fim de mantermos um clima de respeito entre os funcionários, e a Casa possa trabalhar sem medo de que a dolorosa injustiça seja uma prática comum em nossa empresa.

Um fraterno abraço,


Marcus Petrônio


* Esta carta não foi enviada ao destinatário, pois a associação acreditou que o conteúdo dela poderia trazer mais celeumas, discordei, mas acatei a resolução, entretanto faço questão de publicá-la, resguardando o nome da instituição e os envolvidos no lamentável episódio.
Postado por Marcus Petrônio às 13:10
71 comentários:

Anônimo disse...

A ssédio Moral.

esta carta relata uma coisa,muito
triste que vivemos,em nosso pais
gestores mal preparado para assumir,um cargo de alta de uma empresa.pessoas que só saber falar com as pessoas gritando,humilhando
até quando uma empresa deve suportar isso, é a funcionaria que foi humilhada ficar por isso mesmo.
ass:Ricardo carvalho
30 de março de 2010 00:22
Anônimo disse...
Esta postagem foi removida pelo administrador do blog.
30 de março de 2010 00:24
Eronilda Mendes disse...

Ao escrever esta carta o autor pretende chamar a atenção do seu superior sobre um grave problema que ainda existe nas organizações: o assédio moral. Ele relata a atitude abusiva e humilhante pela qual a gerente expôs uma funcionária diante dos demais, revelando o total despreparo da gestora em sua conduta ao lidar com pessoas. O autor deseja que esta ação não fique impune e cobra uma atitude do diretor no sentido de não permitir que este tipo de arbitrariedade continue acontecendo na empresa
31 de março de 2010 04:55
Anônimo disse...

Mostra coisas q vem acontecendo no nosso dia-a-dia,relata o que acontecer nos trabalho,pessoas dispreparada para assumir funçoes.
Ass:Jessyka Priscylla
31 de março de 2010 06:02
RAUNY disse...

O autor relata a sua indignação e o descaso de ter uma colega de trabalho ser maltratada e uma das pessoas que poderiam resolver isso era a gerente e não o fez. É mais um descaso em nossa sociedade onde procuramos algo ou alguém capaz ou responsável para uma resolução sensata e coerente alem de justa, toda via em nossa sociedade, independente do setor, sempre a uma injustiça contra aqueles que são mais “fracos”ou não sabem seus direitos. Com essa insatisfação o autor tenta de alguma forma ajudar ou intervir a favor de sua colega perante o alto escalão da empresa através de uma carta relatando o fato,porem é sumariamente proibido,pela gestora,de divulgar o relato escrito.Pelo que o autor relator vemos que ainda são nomeados pessoas despreparadas para cargos de gestores ou chefias e com isso não usam seus cargos com coerência e decência. Esse descaso ocorre freqüentemente nas empresas.
1 de abril de 2010 20:48
Alinson Mulatinho disse...

Este gênero textual chamado carta, fala de fatos do nosso cotidiano. Assuntos gravíssimos como o assédio moral, causado muitas vezes pelo despreparo dos profissionais da área de gestão.
Ela começa com o relato do autor, um funcionário que presencia sua companheira de trabalho, por motivos fúteis, ser humilhada por sua gerente que, utiliza-se de palavras de baixo calão.
É continuada com um pedido de justiça a favor de uma pessoa correta e compromissada com seu trabalho, deixando claro que é preciso ser registrado para se refletir e tomar providência, afim de que não mais se repita tal acontecimento.
Isso é colocado no texto, de uma forma coesa e coerente, respeitando o tempo verbal, e com bastante formalidade, ao que por fim nos traz um desfecho bastante interessante com um toque de impessoalidade.
2 de abril de 2010 09:35
Anônimo disse...

O autor quer atingir o gerente de sua empresa e chamar atenção quanto a sua atitude. Que após um desentendimento com uma funcionaria ele a expôs a uma situação de assedio moral, um constante caso existente nas empresas e quase sempre o causador fica impune, porém prejudicando a integridade física e moral da vitima. Mas de forma alguma esse gestor pode tratar seus empregados com comportamentos humilhantes, isso só mostra o quanto é sua despreparação diante de tal cargo.

Aluno: Flipe Belo
6 de abril de 2010 14:05
Marcos Dantas disse...

Através de uma linguagem formal,o funcionário tenta chamar atenção do seu superior para um absurdo que ocorreu no ambiente de trabalho. Já se passou o tempo em que professores usavam palmatórias para punir os alunos, ou situações parecidas com essa. É provado que atitudes como essa não ajudam em nada,pelo contrário,mostram o despreparo de um gestor e acaba prejudicando o clima no ambiente de trabalho,podendo prejudicar também o desempenho da empresa. É necessário usar sempre o bom senso. A intenção do autor foi fazer uma crítica a esse tipo de atitudes.
6 de abril de 2010 19:41
Linda disse...

O autor mostra sua indignação com o assédio moral que a funcionária sofreu diante de seus colegas de trabalho, deixando claro para os superiores que espera uma atitude em relação ao acontecido. Ele alerta para o que pode acontecer quando uma pessoa despreparada assume um determinado cargo e abusa do poder adquirido agindo como se estivesse em casa.
O autor deixa seu protesto para que esse tipo de comportamento não se repita e as pessoas trabalhem seguras de que não haverá mais injustiças.

Marly Albuquerque
7 de abril de 2010 17:27
André Antonio disse...

Em quanto houver apadrinhamentos nas Empresas, caso como este vai sempre se repetir, porque um funcionario que tem cargo superior tem que ser competente, ter conhecimentos na sua função, não pode usar a força a ignorância, a violência, para com os subordinados, tem que ter humildade e competência no que faz.
André Antonio-Petróleo e Gás FIR
19 de abril de 2010 12:41
Abraão disse...

O texto escrito relata, como assunto principal, o assédio moral e o abuso de poder!!! Indignado com o que estava acontecendo, o autor resolve escrever uma carta apresentando a situação em que sua colega de trabalho estava enfrentando, por ter um chefe tão mal preparado como o descrito na carta.Ele demonstra como uma empresa tão grande pode ter pessoas incapazes de execer tal função.

Ass: Abraão Henrique
20 de abril de 2010 10:15
raony disse...

O texto relata, um procedimento comum em empresas que, funcionários despreparados agem de formas humilhante com seus subordinados. Tendo em vista que, o mesmo é o espelho para os comandados. O funcionário preparado procede de forma coerente sem utilizar-se do ASSÉDIO MORAL, principalmente no posto de SUPERIOR.

ass: Raony Félix/FIR-Petróleo e gás.
22 de abril de 2010 16:59
Wedson Ferreira disse...

Muito interessante o conteúdo do artigo, claro, objetivo e também muito oportuno. Infelizmente só posso falar assim, essas situações precisam de amporo legal, quando necessário seria viver de acordo com os valores humanos,éticos e cristãos, como a gente sempre diz, aqueles que vem de berço: a EDUCAÇÃO.

Ass: Wedson Ferreira
Curso: Petróleo e Gás - FIR
23 de abril de 2010 05:00
Wedson Ferreira disse...

Muito interessante o conteúdo do artigo, claro, objetivo e também muito oportuno. Infelizmente só posso falar assim, essas situações precisam de amporo legal, quando necessário seria viver de acordo com os valores humanos,éticos e cristãos, como a gente sempre diz, aqueles que vem de berço: a EDUCAÇÃO.

Ass: Wedson Ferreira
Curso: Petróleo e Gás - FIR
23 de abril de 2010 05:06
Anônimo disse...

O assedio moral é um assunto que vem sendo muito abordado ultimamente, ele esta presente em muitos locais nao apenas no ambiente de trabalho.É lamentavel que tal situação humilhante que compromete a imagem das pessoas e também o psicologico delas continue presente em nossa sociedade.
Iedja Firmino- Petroleo e Gas FIR
23 de abril de 2010 06:22
walkyria theodosio disse...

Assédio Moral
Essa atitude anti-ética de uma gestora,mostra um despreparo para a função; o que dentro de um ambiente democrático,o dialogo é sustentaculo do bom relacionamento.
23 de abril de 2010 11:00
Paty disse...

Assédio Moral
Essa Atitude de uma gestrora mostra o despreparo para a função; Dentro de um ambiente democratico o dialogo é o sustentaculo da convivencia dentro de uma empresa.
Walkyria Theodosio
23 de abril de 2010 11:04
Anônimo disse...

A violência moral no trabalho constitui um fenômeno com diversos trabalhdores aponta para distúrbios da saúde mental relacionado com as condições de trabalho, A vítima escolhida é isolada do grupo sem explicações, passando a ser hostilizada, ridicularizada, inferiorizada, culpabilizada e desacreditada diante dos pares. Estes, por medo do desemprego e a vergonha de serem também humilhados associado ao estímulo constante à competitividade, rompem os laços afetivos com a vítima e, freqüentemente, reproduzem e reatualizam ações e atos do agressor no ambiente de trabalho.
23 de abril de 2010 16:40
Juliana Belo disse...

A carta chama a atenção para um problema muito sério, e por mais absurdo que seja é muito comum em nosso dia-dia. Situações como essa, devem ser denunciadas com relatos de histórias veridicas e contadas para todos que também se indignam com a injustiça em geral. Os fatos ocorridos no cotidiano não só entre funcionários e seus superiores, mas também nas relações interpessoais, na qual o texto narra o despreparo profissional, a falta de ética, respeito e educação entre as pessoas.


FIR- Aluna:Juliana Belo.
Curso: Petróleo e Gás
23 de abril de 2010 19:45
Wilma Souza disse...

O Autor mostra, que na vida profissional nós temos que respeitar um ao outro, saber resolver os problemas de maneira civilizada, não se aproveitando das pessoas pelo que elas são conosco.
26 de abril de 2010 08:11
Anônimo disse...

O Autor mostra que na vida profissional temos que respeitar um ao outro, saber resolver os problemas de maneira civilizada, ter um comportamento adequado, seja de um cargo mais baixo ao elevado.

Ass: Kamila augusta
26 de abril de 2010 08:28
Anônimo disse...

O Autor nos relata uma situação que acontece muito nas empresas, pessoas que agem com assédio moral e as vezes não tem noção do que estão praticando, achando que estão no direito por terem cargos superiores.

Ass: Wilma Souza
26 de abril de 2010 08:33
Anônimo disse...

Diante dos fatos apresentados não é mais que certo para que haja justiça do que ter enviado a carta. Mesmo com o risco que a gerente fique sabendo, foi uma questão de ética. Acho que devemos está além de inseridos nas fornas da empresa, sempre atentos aos nossos princípios de justiça para que não sejamos levados. No caso do texto, as pessoas foram levadas pelo medo de perder ou serem punidos por estarem relatando a realidade que infelizmente é vivida dentro da empresa. É lamentável que ainda hoje exista esse tipo de absurdo.


Auna: Camila Rosendo
Curso: ADM - FASE
26 de abril de 2010 17:35
Roberta Silva - FASE disse...

Diante do exposto na carta fica claro para nós leitores que nas corporações atuais a separação hierárquica é evidente principalemente no que tange aos direitos do subordinado. Será que para continuar numa empresa atualmente é necessário que um funcionário se submenta à humilhações e injustiças e venha a se calar?
ASS: Roberta Silvia
26 de abril de 2010 18:25
P&G - FIR disse...

O nosso pais é uma nação que vive do interesse as empresas de hoje vive nas mãos dos politicos quero dizer que favor se paga com favor, caso como este ira sempre acontecer, na minha otica todo funcionário que faz parte da cadeia superior tem que ter competencia e ser altamente qualificado em sua função,não podendo usar de sua força a ignorância, a violência, para com os subordinados, tem que ter humildade.
José Ricardo de Souza-Petróleo e Gás FIR
27 de abril de 2010 04:07
Nádia Serra disse...

O relato mostrar como os gestores estão dispreparados e abusam de seu cargo achando que pode humilhar seus subordinados infelizmente eles esquecem da ética moral.É lamentavel e é de se indignar que fatos como esse fique empune,que muitos fizeram vista grossa e o proprio funcionário se calou e que o autor foi empedido de enviar essa carta.Ótima iniciativa do autor que não se calou e divulgou.
Nádia Serra-Petroleo e Gás
30 de abril de 2010 10:36
Anônimo disse...

Esse relato nos leva lembrar os tempos dos coronéis onde eles expressavam suas ordens com gritos e insultos e tal fato acontecer em dias atuais e algo impensável e indigno fora dizer também que tal ato acontecer como foi descrito e um ato de selvageria e incrível que uma pessoa do nível de estudo e posição alta numa empresa faça tal ato
JAIRO NETO (SISTEMAS DE INFORMAÇÃO) FIR
1 de maio de 2010 06:53
Anônimo disse...

É lamentável o relatado no caso do assédio moral, as pessoas não se dão conta que quanto mais responsabilidades lhes são atribuída mais equilíbrio emocional, ou melhor, mais inteligência emocional é requisitada porque daí que, em conjunto com a aplicação de boas habilidades administrativas teremos um ambiente mais produtivo, sabendo que, em todos os ambientes encontraremos pessoas com personalidades diferentes, com opiniões diferentes. O mais vantajoso é quando extraímos o melhor do que cada um pode dar. Mas infelizmente quando nada disso é levado em consideração encontramos o que foi relatado e o que pode ser pior, quando nenhuma providência é tomada para que não haja punição em nenhum nível hierárquico pode tornar permissível a injustiça em qualquer ambiente de trabalho.
Silvia Borba
SI – FIR – 1º período
2 de maio de 2010 17:37
Anônimo disse...

Sabemos que assédio moral não é um problema novo, creio que é tão antigo quanto a existencia do serviço e servidor. o texto representa um sentimento infelizmente pouco encorajado pela grande maioria dos que podem respresentar a voz dos oprimidos contra aqueles que usualmente fragilizam, ridicularizam, inferiorizam e menosprezam seus subordinados frente aos pares.
Tais práticas hoje com penas previstas deviam ser mais denunciadas, mas ainda existe a omissão e as vezes conivencia de tais atos, fazendo com que a chama da injustiça permaneça flamejando ardentemente como se nada estivesse acontecendo. Por um lado as chefias autoritárias que impoem regimes estratégicos para a propiciação de suas praticas e permanecerem impunes e por outro o cidadão que não consegue se defender, na quase coagida ação de causa e consequencia por temer a perda de emprego, que o faz preferir calar-se.

SI 1º Período - FIR
Oswaldo Júnior.
2 de maio de 2010 20:48
Anônimo disse...

Creio que, se a referida carta tivesse sido enviada ao D. P., possivelmente teria causados diversos transtornos na empresa... Porém, são atitudes como esta tomada pela associação, de não enviar a carta, que permite que fatos como esse do assédio moral continuem acontecendo em diversos lugares. Mesmo que tenhamos que ser suaves com as palavras, para tentar manter a cultura de paz, sempre temos de nos posicionar contra qualquer tipo de assédio e injustiça. Se continuamos calados, vendo esse tipo de coisa acontecer, nós mesmos poderemos ser as próximas vítimas e ninguém se posicionará contra.


Alcir Oliveira S.I - FIR
3 de maio de 2010 05:50
Polyana disse...

Turma de Petróleo e Gás - FIR

A carta que não enviei.

Assédio moral é uma prática tão comum, mas que muitas vezes não sabemos identificá-las, ou simplesmente a ignoramos. Pessoas com alto cargo, não todas logicamente, se acham no direito de falar como bem entendem com seus subordinados, e acham ainda que os mesmos estão ali à sua disposição para sempre aturar suas grosserias. Pois bem, um funcionário, seja ele qual for, merece toda consideração e respeito por parte dos seus superiores, pois sem essa classe trabalhadora as empresas não existiram.Polyana Santos.
3 de maio de 2010 07:14
raphael disse...

a carta nos faz lembrar de um problema que é muito frequente em diversas empresas,em que o empregado subordinado sempre é submetido a fazer coisas ,ou a escutar coisas em que não deveria !!! isso tudo sempre vai estar relacionado com o poder, e que eu acredito em quanto ouver o "poder"acontecera este tipo de coisas que é inadimicivel.

FIR
Raphael Félix
S.I/ 1º período
6 de maio de 2010 18:19
Henrique Cézar disse...

Assédio moral... É um tanto complicado falar de temas como esse, sem sentir estar sendo hipócrita. Não há indivíduo que seja, em toda sua integridade, bom. Está no ser humano ser egoísta, ser ganancioso, ser avarento.

O que o texto relata é algo corriqueiro: Uma pessoa se prevalescendo do poder (pseudônico ou não) que tem para favorecer seus interesses. Pode não ser comum a cena do assédio moral, mas é quase que natural o uso indevido de poder, seja ele qual for.

As regras da convivência foram feitas para que casos como esse sejam evitados, basta que a consciência de cada cidadão se sobreponha aos seus próprios interesses.

Henrique Cézar, S.I. - FIR - 1º Período
7 de maio de 2010 10:12
wagner disse...

Por meio dessa carta o autor vem tentar expor os fatos ocorridos numa empresa, para tentar de alguma forma acabar com esse tipo de coisa.
infelizmente isso ainda acontecê muito no Brasil, as pessoas do alto escalão das empresas muitas vezes acham que seus funcionários são escravos, que só por estar um pouco acima.

Wagner Lira - FIR - SI

professor peço mil desculpas mas só pudi comentar hoje.
7 de maio de 2010 13:12
Anônimo disse...

Isso é um fato dentro de muitos que estão ocorrendo em empresas nesse exato momento, enquanto estamos refletindo... Certa vez, li uma frase que diz que o Homem pode superar as adversidades mas se alguém quiser testar o seu caráter,Dê-lhe poder!

E isso resume bem a atitude da agressora, pois ela, para sustentar seu ego de superioridade, usou da hierarquia para reduzir a pó a subordinada.

Fica a pergunta: Seria essa mulher mal-amada?


Rafael Almeida S.I. - FIR
7 de maio de 2010 13:47
Anônimo disse...

Assédio moral é uma atitude desumana, e anti-ética, ocasiona desordens emocionais e atinge a dignidade e a identidade da pessoa, interferindo negativamente na saúde e na qualidade de vida da vítima, é verdadeiramente humilhante!!!

Edlene Belarmino
FASE - Gestão Hospitalar - Noite
18 de março de 2011 11:44
Anônimo disse...

A carta mostra a realidade de muitas empresas, onde funcionários são vítimas de assédio moral por seus superiores, por isso não devemos mais calar a boca diante de situações como esta, mesmo correndo o risco de perder o emprego, nó entanto aliviada por não fazer mais parte de uma organização onde as pessoas que deveriam dar um bom exemplo são as quais praticam a pouca vergonha.

Flor leal 3ºP gestão de pessoas
FASE
21 de março de 2011 15:13
Anônimo disse...

Acho lamentável ainda existir esse tipo de coisa,tão atrazada nos tempos de hoje.infelismente alguns usam de abuso de sua autoridade para praticar tal ato,mas injusto é ter que se assujeitar a isso para nanter seu emprego, passando pelos seus costumes,sua educação.Mas casos como esse não deveriam ficar impunes e até mesmo publicado para servir de exemplo, no entanto qualquer decisão deve ser tomada racionalmente e não emocionamente.
Ronald Montenegro
FASE LOGISTICA 3º periodo
21 de março de 2011 17:15
Anônimo disse...

Essa carta explicar do que as grandes empresas faz com os funcionarios,e infelizmente e um fato que ocorre quase todos os dias, veja ate aonde vai a capacidade dos superiores.Pois pessoas desqualificadas estão ocupando cargos que não esta adequado e com isso acontecer esse fato.Um bom Superior respeita os seus funcionarios e o respeito e bom e quem não gosta?

Valquria Mª 3°G.P Fase
22 de março de 2011 08:32
MIRELLA FASE disse...

Pois é Superiores...Com o peito estufado por ser "superiores" néh..

Existem Profissionais e OS PROFISSIONAIS.Isso não é postura de um verdadeiro Profissional.

Profissional não é só aquele que possui seu Diplominha no quadro da sala,digamos assim.E sim é aquele que também aprende no dia a dia com seus funcionários,que sabe ouvir e respeitar todos ao seu redor.

Enfim,um tamanho despreparo para com as "Pessoas",e que fique explícito o suficiente para não acontecer mais na EMPRESA.

Mirella FASE 3°
22 de março de 2011 15:49
Wildelany disse...

Olá Professor Marcus Petrônio.
O texto narra uma história que, com certeza, acontece constantemente em empresas públicas e privadas. Onde o Assédio Moral toma espaço diante de opiniões e diálogos entre seres humanos. O Assédio Moral destrói relações, cria desmotivação, podendo por em risco anos de investimentos de uma organização. É triste saber que mesmo vivendo numa democracia, fatos desse tipo aconteçam com tanta freqüência. Isso nos mostra a falta de índole, de ética e valor moral, de respeito e amor ao próximo. Isso nos mostra a falta de Deus nos corações dos homens. É preciso gritar, denunciar, acabar com essas injustiças, pois só dessa forma, poderemos construir um mundo melhor. Os gestores precisam estar mais preparados para lidar com o seu humano e que não é a posição na empresa que o fará melhor que os outros. Todos são importantes para o desenvolvimento e crescimento de uma organização. Eles precisam aprender a ELOGIAR EM PÚBLICO E CHAMAR A ATENÇÃO COM RESPEITO ENTRE QUATRO PAREDES, pois não é a exposição de sua chefia diante do seu funcionário que o fará melhor, pois caráter vem de berço.

Wildelany Moreira - FASE - 3º período - G. H.
23 de março de 2011 13:06
Helena disse...

Devemos ser profissionais racionais, sobre tudo humanos, por que trabalhamos com pessoas e o respeito e essencial, uma pessoa que usa de sua posição hierárquica para constranger, humilhar ou coagir não tem capacidade de gerenciar, na vida existe a lei do retorno, se tu pisa hoje em alguém pode esperar um dia alguém vai te pisar, e o melhor de tudo e poder gargalhar e dizer bem feito!!!
Helena (FASE 3º LOGÍSTICA)
24 de março de 2011 08:21
Verônica Maria (FASE - G.H. ; 3º P manhã disse...

Isso é uma vergonha.
Gestores mal preparados. Humilhando funcionários.
É impressionante como ainda existem tantos casos como este, espalhados pelo Brasil.
Tantas pessoas que não sabem como tratar o próximo, com o devido respeito. Mesmo quando o seu cargo é mais elevado do que o dele.
O assédio moral deve ser punido devidamente.
24 de março de 2011 17:07
Maria José Mota (FASE - G.H. 3ºP manhã) disse...

Na maioria das vezes as empresas através de seus gerentes quando acontece algum fato com um de seus subalternos, esquecem toda uma vida de dedicação à empresa. E gritar e humilhar o funcionário, esquecendo que um gestor em hipótese alguma deve agir dessa forma. Mas, nem sempre ao presenciar uma cena dessas, conseguimos fazer algo, muitas vezes calamos por algum motivo.
24 de março de 2011 17:18
Anônimo disse...

Em nossa sociedade o assédio moral ainda é um tabú, pois não precisamos ir muito além, várias pesquisas ja foram realizadas e infelizmente esse tipo de tratamento entre empregador e empregado acontece, pois o agredido se sente retraido em prestar queixa e de pedir assistencias judiciais. Isso ainda acontece, e muito, em grandes empresas seja ela de pequeno, médio ou grande porte.
ELIZANGELA FASE, GP 3º
24 de março de 2011 20:20
Anônimo disse...

Infelizmente o mercado de trabalho encontra-se cheio de pessoas despreparadas, que esquecem do seu verdadeiro papel dentro da empresa, que usam seus cargos ou poder para humilhar, desmerecer e inferiorizar seus subordinados. Para esse tipo de PROFISSIONAL segue o total despreparo.

Debora Gomes/G.P/3º
25 de março de 2011 06:28
Anônimo disse...

Assédio moral, infelizmente, é um assunto muito discutido e frequente em muitas empresas. O autor teve uma boa inciativa, ao tentar mostrar para a diretoria o quanto seus funcionários são injustiçados independentemente do tempo/cargo que coloboram com a Empresa. Mostrando também a desqualificação por parte de alguns funcionários ao assumir cargos superiores.
*Por; SGM - G. Hospitalar (4ºPer.)
26 de março de 2011 21:32
Anônimo disse...

É muito triste saber que em pleno século XXI, existe gestores com essa postura, pois, toda empresa deve qualificar melhor seus funcionários e treiná-los para liderar, sabendo que estão lidando com ser humanos.

Rejane
gestão Hospilar
4º periodo - noite
27 de março de 2011 15:09
Valdomira Santos disse...

esta carta mostra coisas que vem acontecendo no nosso dia-dia,tanto dentro das empresas quanto fora.Ela relata a atitulde abusiva e humilhante pela qual a gerente espõs uma fucionária diante dos demais,revelando o total despreparo da gestora em sua condulta ao lidar com pessoas.

Valdomira Santos. 3período GP
27 de março de 2011 16:46
fabiana disse...

Para ser um bom gestor é preciso saber ouvir, comunicar-se e lhe dar com pessoas. Então esta carta fala de uma gestora q não tem postura, nem profissionalismo para lhe dar com seres humanos, pois, independentemente de nosso cargo somos seres iguais, não tem melhor, nem pior e infelizmente, hoje nos deparamos com muitos gestores desta qualidade, é triste mas é uma realidade.
4° período (Gestão de Pessoas)
27 de março de 2011 17:08
Anônimo disse...

Olá prof.

O assedio moral no meu ponto de vista é um ato de descriminação, onde o assediador mostra p/ o assediado q é melhor e superior do que ele.Podemos ver casos acontecendo como por ex: um chefe ver sua funcionaria chegar dirigindo o carro e diz a ela q "toda mulher dirigi mal"! sendo dita varias vezes,poderá ter um prejuizo emocional muito grande.
Temos q lutar contra o assedio moral no trabalho, contribuindo p/uma qualidade de vida melhor.

aluna: maria do carmo mota(3 periodo-GP- FASE-manhã).
27 de março de 2011 17:35
Anônimo disse...

Sem somba de duvidas ainda é revoltante no dias atuis que as pessoas sejam ainda ignorantes, quando estamos no mundo globalizado, informatizado. A assediadora por sua vez usou seu poder hierarquico para coagir o assediado, esta que por sua vez calou-se.
Não podemos nos calar porque não temos poder, ao contrário, temos poder sim e o poder das palavras e da justiça que nos protegera diante tamanha falta de ética e porque não dizer também de moral porque uma pessoa para ser profissional, antes de tudo terá que ser boa filha, boa mãe, boa em tudo, etc.
CARINA KELLY, FASE3º GP
28 de março de 2011 07:02
Anônimo disse...

boa noite professor,gostei muito do texto, sem sombra de dúvida ele retrata a nossa realidade infelismente.

José Ricardo
3ºperiódo-logística-manhã
fase
28 de março de 2011 17:06
Anônimo disse...

É,infelizmente ainda é o que presenciamos nas empresas. A carta relata a verdadeira historia de muitos trabalhadores, o que mais temos são gestores totalmente dispreparados, sem ética e sem respeito,é ai que temos a certeza de que nem todo ser humano merece ter poder na vida.
28 de março de 2011 17:31
Anônimo disse...

professor postei um comentario e esqueci de colocar meu nome, cleise rodrigues 3°G.P Fase.
28 de março de 2011 17:35
Anônimo disse...

Essa carta mostra coisa que vem acontecendo no nosso dia-dia, tanto dentro das empresas quanto fora. Ela relata a atitude abusiva e humilhante pela qual a gerencia expõe um funcionário diante dos demais, revelando o total despreparo dos gestores em sua conduta ao lidar com pessoas.
VALDOMIRA SANTOS FASE3º GP MANHA
28 de março de 2011 20:08
Anônimo disse...

Cléa Britt
G.P - 3º Périodo

Infelizmente o assédio moral existe muito nas empresas, humilhar os seus subordinados parace ser um robi dos líderes despreparados. Ser grosseiro com o próximo lhe dar uma moral que nunca irá existir perante a gestão correta e coerente.Estamos estudando para ser merlhores gestores que os atuais!
29 de março de 2011 05:51
Anônimo disse...

Boa tarde prof. Marcus

É muito facil todo mundo escrever que o assedio moral é uma vergonha, que no tempo de hoje é um absurdo os gestores com todo seu estudo e formação fazer uma baixaria.Se olharmos ao nosso redor tbm veremos pessoas no seu cotidiano sendo moralmente assediada, não!, não posso aceitar e ficar calada com que vejo. Temos que para de humilhar o ser humano e amar como a nós mesmo, "como diz Jesus Cristo".
Por isso eu sempre digo " Assedio moral no trabalho e em qualquer lugar, chega de humilhação!"


Jeane Cristina - 3 periodo fase GP manhã.
29 de março de 2011 13:25
Anônimo disse...

É muito triste saber que em nosso cotidiano exista passoas desse tipo que gosta humilhar seus colaboradores,isso não é papel de gestor e nem mesmo de um chefe.
Este fato ocorrido, trata-se de um gestor mal preparado para o mercado. É falta de educação, ética e postura diante de seus colaboradores.
Ana Rita
FASE Gestão hospitalar-noite-4ºp.
30 de março de 2011 08:34
Anônimo disse...

Em todas as organizações existem reclamações e varios episodíos de assedio moral,que ao meu ver tem um serto direspeito por parte desses gerentes.cordenadores,supervisores que abusam do poder nesse caso felismente ou infelismente ouve por parte do autor do texto um visão bem acolhedora,mas mesmo assim existem sequelas que se perpetuam,com o psicológico e social dessa pessoa.Para esse tipo de pessoa que acha que com gritos,ameaças e pressões vai ter previlegios,achando que nunca seram punidos pois com a persistencia desses atos as consequencias sao severas.
Ilka Maria - Gestao de Pessoas 4ºP
30 de março de 2011 13:16
Anônimo disse...

caro senhor bom dia, venho por meio desta, lhe informar que um ser humano independente do seu nivel superior empregativo ou social nao deve usar seu poder para agredir uma pessoa de nivel inferior ao seu, mesmo se a causa do assunto for do lado profissional. devemos agir sempre com cautela, respeitando e ouvindo as pessoas para termos a paz que tanto procuramos,e lembramos que como no fato ocorrido, o fato de termos algum larço afetivo com alguem nao nos da o direito de agir com injustiça.
Edjane Reis 4 periodo GH manha
30 de março de 2011 19:31
Anônimo disse...

É revoltante como tem gente que abusa do poder para diminuir o outro...que bom que vemos tantos comentários contra esses abusos, que tem tanta gente que ainda respeita o próximo e que gostariam de ter enviado essa carta!

Abç,
Gleyce Morais
Aluna Fase
4ºperíodo GP
31 de março de 2011 07:41
Anônimo disse...

Silvana G. Rodrigues

4º período de G. H

Turno manhã Olinda

Este fato e só mais uma prova que a sociedade ainda prefere fechar os olhos para as injustiças que ocorre dentro das organizações. Espero que isso um dia acabe, para podermos viver em uma sociedade mais justa.
31 de março de 2011 12:16
Anônimo disse...

Silvana G. Rodrigues

4º período de G. H

Turno manhã Olinda

Este fato e só mais uma prova que a sociedade ainda prefere fechar os olhos para as injustiças que ocorre dentro das organizações. Espero que isso um dia acabe, para podermos viver em uma sociedade mais justa.
31 de março de 2011 12:17
Anônimo disse...

O texto aborda a realidade nas empresas, infelizmente nao ha politicas internas que limitem ou impeçam tal prática de humilhações em nossa sociedade, cooperando cada vez mais para o desencadeamento desenfreado desse tipo de crime
nalige GH 4 periodo manha
31 de março de 2011 18:31
Anônimo disse...

Prof.M Petrônio!
Eu,como mais uma leitora desta carta, digo-lhe:Que ética, moral e bons costumes são para poucos!O que aconteceu nesta empresa,de fato não foi e nem será novidade pra ninguém...Porque isso relata exatamente o que acontece no nosso dia-a-dia dentro das organizações.É mais uma prova de que os subordinados se sente coagidos diante de uma situação como essa,sem saber o que fazer.Na realidade até sabe,mais o medo de perder seu emprego é bem maior!Os maus gestores acham que podem tudo, porque tem o "poder" em suas mãos.Com tudo isso,não se pode sair por aí ofendendo a moral dos seus subordinados...
Edilane 4°P-GP/Manhã-FASE.
31 de março de 2011 18:36
Anônimo disse...

Concordo plenamente com o seu modo de pensar e de agir, porém infelizmente até que os nossos gestores comecem a aprender como diferenciar relacionamento de amizade e de trabalho, falo isto com pesar mas continuaremos a ver episódios como o citado com tanta frequência qnto vemos estrelas no céu.

Marcos Paulo 3° Período Logística
31 de março de 2011 20:55
Suely Pinto disse...

Ficou claro,na minha opinião abuso de poder.Não é toda pessoa que está apta para exercer,certos cargos.Existe o direito de ir e vir a todos.
2 de abril de 2011 03:22
Anônimo disse...

Ultimamente está acontecendo em muitas empresas este tipo de situação. Esta postagem, veio em bom momento para nos fazer refletir: como está nosso ambiente de trabalho? O seu gestor está realmente apto a conduzir uma empresa? Quer conhecer uma pessoa?Dê poder a ela!

A agressora para demonstrar superioridade, usou sua posição hierarquica para humilhar a subordinada. Esse é o mínimo de injustiça e desrespeito que acontece todos os dias normalmente em empresas privadas.

JULLY E. G. GOULART - 4 Período (noite) G.H. - FASE

Fica a pergunta: Seria essa mulher mal-amada
7 de abril de 2011 13:46
Anônimo disse...

professor, relatos como este infelizmente fazem parte do nosso dia a dia! è lamentável.
aluna
12 de abril de 2011 16:41
Anônimo disse...

professor, é lamentável que em dias atuais ainda temos que conviver com este tipo de gente.
aluna(...)


Help